Return to site

Desafio do teatro paulista é conquistar a classe C

· Cultura,Teatro,São Paulo

Um mapeamento dos hábitos culturais de 21 municípios paulistas realizado pelo Instituto Datafolha sob encomenda da JLeiva Cultura & Esporte mostra que o público de teatro tem potencial para dobrar nas cidades analisadas. Mas, para isso, os produtores teatrais do estado terão de superar uma importante barreira social: conquistar a classe C.

De acordo com os dados da pesquisa Cultura em SP, que ouviu quase 8 mil pessoas acima de 12 anos entre abril e maio de 2014, um terço dos entrevistados (28%) disse ter frequentado o teatro nos 12 meses anteriores. O levantamento confirmou uma percepção bastante difundida no senso comum: as salas de espetáculo são, de maneira geral, espaços elitizados. Dois terços (69%) dos que assistiram a peças pertencem às classes A e B, e apenas um terço (30%), à classe C.
Essa proporção, porém, muda sensivelmente em relação ao público potencial. Metade desse grupo (48%) pertence à classe C e a outra metade (47%), às classes A e B. De acordo com a pesquisa, o público potencial corresponde à proporção de entrevistados que disseram não ter ido ao teatro nos 12 meses anteriores, mas que deram nota de 6 a 10 ao seu grau de interesse pela atividade. Esse contingente foi de 28% dos entrevistados. Ou seja: o público potencial é igual ao público atual, o que significa que as plateias podem dobrar de tamanho nos 21 municípios analisados.
Multiplicando esses 28% pela população acima de 12 anos dos 21 municípios pesquisados, a pesquisa estima que o público potencial de teatro nessas cidades pode chegar a 5 milhões de pessoas. Para atrair essa multidão para as salas de espetáculo, no entanto, os produtores da área precisam combater duas barreiras que afastam o público dos teatros: a falta de interesse e o alto preço dos ingressos. Juntos, esses dois fatores foram citados por 60% dos entrevistados como os principais motivos para não ir – ou não ir mais – ao teatro.
No caso da capital paulista, o número de pessoas ouvidas pela pesquisa permite fazer o mesmo tipo de análise apenas na cidade de São Paulo. As proporções são semelhantes às do conjunto dos municípios pesquisados. Na capital, um terço dos entrevistados (30%) disse ter frequentado teatros nos 12 meses anteriores e o percentual de público potencial foi o mesmo: 28%. Multiplicando esse percentual pela população acima de 12 anos na capital, a pesquisa estima que 2,8 milhões de pessoas que não frequentam teatros podem ser atraídos para as salas de espetáculo da cidade.
Na cidade de São Paulo é possível mapear a distribuição geográfica desse público potencial, e os dados mostram que a maior parte dele (55%) se concentra nos bairros localizados nas regiões mais afastadas do centro – Leste 2, Sul 2 e Norte 2. Não por acaso, estas são justamente as três regiões da cidade em que a proporção de moradores pertencentes à classe C supera a média do município.
Os dados coletados pela pesquisa Cultura em SP sobre o público de teatro e de outras artes cênicas, como espetáculos de dança e circo, foram reunidos em três apresentações em PDF disponíveis para download no site da pesquisa.

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly